Borges, o memorioso

Fãs,

Hoje sentei meu rabo na janela e voltei a ler o meu xará. Catei na minha biblioteca de Babel o livro Ficções. Há um conto dele chamado Funes, o memorioso. Lendo a história, fiquei pensando sobre a memória de um gato, o quanto nossa memória será diferente da de vocês humanos? Nunca vou saber exatamente, pois nunca serei humano, mas acho que nossa memória é bem melhor e isso  às vezes me parece tão ruim. Até hoje lembro do meu primeiro banho e fujo da água. Até hoje lembro do primeiro chute na bunda e fujo de estranhos. Até hoje lembro do Campo de Santana, da gaiolinha e da solidão. Humanos têm a memória tão fraca que acham que ser muito memorioso é coisa boa: eles acham que quem decora mais coisas é mais inteligente, mas mais inteligente é aquele que esquece mais rápido de tudo que é ruim. Para que se precisa decorar a tabuada dos 7 se não se usa para nada? Para que tem que saber todas a capitais do Brasil  e todos os afluentes do rio Amazonas? Eu sei, mas dificilmente me servirá… sou uma espécie de Funes, o homem que não esquecia de nada, só que muito mais fofo e peludinho.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

Lendo Funes, o Memorioso, sentado na janela

Funes, o memorioso

Gatinhos e famosos

Fãs,

O Youpix fez uma postagem muuuito legal com 2 tumblrs de gatos. O tumblr do tio @Poteusso é muito legal, mas todos os meus fãs aqui já são visitantes dele http://poteusso.tumblr.com/, falo de outros que muita gente ainda não conhece.

Passei a noite toda com minha mamãe, no colinho macio dela, visitando.

Esses tumblrs são importantes, pois mostram famosos ao lado de gatos, dando-lhes carinho. Sendo assim, são muito úteis pra tirar o preconceito de cima dos felinos, afinal, famosos têm muitos fãs e capacidade de formar opinião.

O mais antigo e que a maioria das pessoas conhece, é o Celebrity Cats – http://celebritycats.tumblr.com/

Agora, há também o Celebrity Pussy – http://celebritypussy.tumblr.com/

Visitem e mostrem para aqueles seus amigos que são fãs de algum artista que esteja ali. Por exemplo, se você tem um amigo que é muuito fã do Queen, pegue a foto do Fredie Mercury com um gatinho e fale: “olha, o Fredie Mercury gostava de gatos, você já pensou em adotar ou em ajudar um?” É um passo importante para a classe felina. Fiquei horas e horas no tablet vendo as fotos.

JUSTIÇA SEJA FEITA: Fãs, apensar dos tumblrs serem muito legais NENHUM deles tem a foto do Borges com um gatinho. Pra quem não sabe, Borges é o meu autor favorito, aquele escritor argentino que deu origem ao meu nome. Então, deixo aqui para vocês a minha foto no tablet, mas também as fotos do Borges, meu xará e meu amigo de literatura.

Meu primeiro post do blog foi com um poema que o Borges (argentino) escreveu para os gatos – https://borgesogatodotcom.files.wordpress.com/2011/09/1.png

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

Mamãe me dando colinho pra eu usar o tablet

 

Olha o gatinho ao lado do Borges, parece eu. hehehehehhee

Olha o gatinho branco aí de barriguinha pra cima e esse outro é meu xará, o Borges. Sou parecido fisicamente com o da esquerda e intelectualmente com o da direita.

O Borges gostava mesmo de gatinhos, tanto que escreveu um poema para eles. Esse aí parece mais com a Christie.

E claro, se tem gatinho parecido comigo e com a Christie, não podia faltar o Borges com um gatinho que lembrasse um pouco meu tio Grey

Destino

“A porta é a que escolhe, não o homem.”
(BORGES, Jorge Luís. Fragmentos de um evangelho apócrifo)

É como se ela que me convidasse a entrar. Não sei o que há do outro lado. Ela se abre, eu entro, mas de longe, com a imaginação, pois sequer subi todos os degraus da escada. Tenho medo, mas a porta é a que escolhe e não o gato. Ela escolheu que devo entrar. Talvez do outro lado haja um Deus com seus manjares ou um demônio com seu fogo eterno; talvez haja um abraço, talvez um golpe; talvez haja a paz, talvez  a guerra. Tudo isso compõe um leque de incertezas, a única certeza é que a porta já fez sua escolha.

Borges, o gato – @borgesogato

De cabeça pra baixo na biblioteca

Como todos los hombres de la Biblioteca, he viajado en mi juventud; he peregrinado en busca de un libro, acaso del catálogo de catálogos. (Borges. La Biblioteca de Babel)

Borges, o gato, de cabeça pra baixo na biblioteca, continuando a busca do seu xará pelo catálogo dos catálogos.

El Aleph


“Esclareceu que um Aleph é um dos pontos do espaço que contém todos os outros pontos”

(BORGES. J.L. O Aleph in O Aleph. Cia das Letras)

“Aclaró que un Aleph es uno de los puntos del espacio que contienen todos los puntos”

“He explained that an Aleph is one of the points in space that contains all other points”

“Il a expliqué qu’un Aleph est l’un des points dans l’espace qui contient tous les autres points”

Pierre Menard

Autor do Quixote

“Ele não queria compor outro Quixote – o que seria fácil – mas o Quixote.”

(BORGES, J.L. Pierre Menard – autor do Quixote. Ficções. Cia das Letras)

“He did not want to compose another Quixote —which is easy— but the Quixote itself”

“No quería componer otro Quijote —lo cual es fácil— sino el Quijote.”

“Vous ne voulez pas composer une autre Quichotte-qui est facile, mais le Quichotte.”

El caballo

Borges montando.

Borges cavalgando.

Desmontando do cavalo

“Um grande cavalo branco de olhos sonolentos parece encher a manhã”

(BORGES. J.L. O Cavalo in Poemas. Cia das Letras)

“Un gran caballo blanco de ojos dormidos parece llenar la mañana”

“A great sleepy-eyed white horse seems to fill the morning”

“Une grande somnolence yeux cheval blanc semble combler le matin”