Sacrifícios em prol da fofura

Fãs,

Já falei aqui com vocês sobre a Estética da Fofura (se não leu, clique aqui ). Como toda estética, ela exige dedicação, alguns sacrifícios e trabalho. Vovó é uma artesã da fofura. Ela potencializa ainda mais as fofurices dos gatos daqui do Castelo do Grey. Vovó é como aquela moça que coloca a cerejinha no bolo, ela pode não deixar o bolo melhor, mas com certeza deixa mais fofo. Mas a Christie não liga muito para exercer esta estética, ela só quer saber de correr, pular, rolar no chão. Mario Grey é impaciente e acha que para ser fofo basta governar seu castelo. Eu não. Eu sou adepto de ficar mais fofo sempre: usar toucas, gravatas, óculos… a fofura para mim é ilimitada e é rumo ao infinito de fofurice que quero caminhar.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

148

Mario Grey fica ainda mais rabugento quando usa touquinha

151

Christie acha que touquinha atrapalha suas aventuras

149

Eu não, diferente deles: estou sempre a serviço da estética da fofura e em busca de ser cada dia mais fofo

150

Ai, como sou fofo!!!

 

Amigo novo

Olá, amiguinhos! Tudo bom??

Fazer novas amizades é ter novas histórias. Amo ter novos amigos, o Borginho não. Eu tenho um novo amigo que se chama Mario Grey, ele é meu tio. Com ele aprendo coisas novas: como sair correndo pelas escadas, como subir na cadeira da vovó. Pra ele, eu ensino novas coisas: como escalar as paredes, como correr atrás da bolinha de papel. Ter novos amigos, traz também novos problemas. Mario Grey se irritou comigo e me deu uma patada no nariz. Fez dodói. Borginho me disse que por isso que as amizades não valem a pena, pois elas machucam mais do que trazem alguma coisa boa. Borginho se olha no espelho e não vê nenhum machucado. Eu vejo um arranhão no nariz, mas pra mim não é como machucado que vejo, vejo como uma história pra contar. Amigos deixam marcas mesmo, deixam tantas histórias boas, por isso que é legal.

Ass.: A gata Christie

145

Grey estava sozinho no mundo

144

Fui chegando devagarinho

146

Pra lhe fazer companhia

147

Com minha nova cicatriz no nariz, rimou. hihihi

Pós-escambo

Fãs,

Devem-se lembrar que Christie em uma brilhante jogada empreendedora conseguiu livrar-se da desfortável CatCave e trocá-la por uma maravilhosa caixinha de papelão (se você não lembra, leia clicando aqui)! Pois os senhores leitores e senhoras leitoras não sabem, o imperador Mario Grey está tão feliz com seu leito luxuoso que é usado por todos os Reis Felinos do Oriente Médio que está nos abastecendo com novas e mais novas remessas de caixinhas de papelão.

Posicionamos a caixinha em nossa varanda e podemos agora desfrutar da bela vista noturna com voos de morcegos e mosquitinhos enquanto estamos sentados ou deitados sobre a confortável textura de papelão. Afinal, fãs, se papelão não fosse confortável, não seria a cama favorita de todos os mendigos do mundo que conseguem dormir seja sob sereno, seja sob o sol quente da manhã. Graças e vivas ao papelão!

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

143

Na confortável caixinha conversível com vista para o céu estrelado

 

142

Christie e sua sonequinha na caixinha

141

E o bobo do Mario Grey dormindo na CatCave achando que realmente é a cama dos Reis Felinos do Oriente Médio, coitado, todo desconfortável.



 

 

Orgulhosamente medroso

Fãs,

Há gatos que foram feitos para lutar, arranhar, miar ao ar livre. Eu fui feito para escrever. Não sei o que houve, sei que nasci assim. De novinho, apaixonei-me pelos livros e tudo começou. Outros gatos miavam à minha janela me chamando para buscar fêmeas, caçar ratos, mijar em novas terras. Mas eu não, eu preferia ficar em casa, lendo, escrevendo… Sempre fui medroso, é verdade. Acho que quanto mais inteligente se é, mais medroso se é. Pois só a ignorância pode nos fazer ter coragem diante deste mundo tão perigoso. Os humanos envergonham-se de se assumir o medo, eu me orgulho! Pois todo medroso é potencialmente um longevo. Nunca vi homem que não entra em avião, morrer de acidente de avião. Nunca vi mulher que não saia de casa por medo de ser assaltada, ser assaltada. Nunca vi gente com medo de altura morrer por cair de uma passarela. Fãs, é o medo que nos faz evitar o perigo. Todos os corajosos que conheci através dos livros que li, anteciparam a morte. Eram tão corajosos que morreram em guerrilhas, morreram em revoluções, morreram durante esportes radicais, morreram por enfrentar foças políticas opositoras. Ah, fãs, são corajosos de todos os tipos e de todos os gostos: De Che Guevara a Ayrton Senna. De Getúlio Vargas ao Pepê. Os medrosos ficam aqui vivos, afinal, alguém precisa ficar vivo para inventar uma história para os valentões que morreram.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

134

Quando o Mario Grey vem me caçar…

133

…Ele não me pega, porque graças ao MEDO, sei me esconder!

Técnicas de guerrilha felina

Fãs,

Nunca imaginei que pudesse trocar o teclado do computador pelas unhas afiadas. Mas, há circunstâncias e circunstâncias. Ultimamente, o meu tio Mario Grey tem vindo mais vezes à minha suíte. Ele não me vê, pois escondo-me, mas sabe que estou ali, pois sente meu cheiro.
Imagino quantos milhares de gatos no mundo estão passando por este tipo de opressão. Eu que não sou um guerreiro, um combatente, um lutador perspicaz,  posso contribuir com meu texto, publicando 10 regras que os gatos devem seguir para combater seus inimigos em casos como este.

10 regrais capitais da guerrilha felina por Borges, o gato

1 – Jamais deixem suas mães cortarem suas unhas. Elas são a arma natural que vocês têm para se defender contra o opressor. Caso ela tente, dê solavancos, mie alto, simule dor.

2 – Usem o território ao seu favor. Cada buraco é um esconderijo, locais altos são ótimos para vigilância. Saiba onde estão as camas, os sofás, os armários. Todos eles podem nos acolher em um momento de fuga.

3– Guarde consigo comida e água. Pode ocorrer de ter que passar dias em um esconderijo. Molhe as patas no potinho d’água antes de se esconder e lamba sempre que sentir sede. Nosso pelo pode guardar pequenos pedaços de petisco escondidos e grãozinhos de ração.

4-Saiba onde está seu dono, pai ou mãe. Em casos de perigo, faça carinha de fofo para a mamãe e peça colo, é uma ótima solução para manter o inimigo distante.

5 – Se arrepie e fique na pontinha dos pés. Isto passa a ideia que você é um gato muito maior que o inimigo, ainda mais se ele puder ver também sua sombra. As aparências enganam, portanto, engane-o.

6– Grite o máximo possível e mostre os dentes. Quanto mais barulho você fizer, mais parecerá que você é um animal louco e ensandecido que é capaz de tudo.

7– Delimite o seu território e o do seu inimigo. Esfregue as têmporas na parede para deixar seu cheiro. O método do xixi é muito rudimentar e pode jogar sua família contra você, não o use.

8– Finja-se de doente quando o inimigo se aproximar, se debata no chão, vomite, tussa, dê sinais de uma doença contagiosa que pode ser transmitida de felino para felino.

9– Fique atento aos sinais do inimigo, se ele colocar as orelhas para trás ataque antes que ele te ataque. Conhecer o inimigo, é um grande passo para ganhar a guerra.

10– Se tudo der errado, esteja sempre pronto para correr. Lembre que sempre há grande chance do ataque dar errado e a melhor solução é sair correndo. Principalmente em caso de gatos mais gordos como o Mario Grey, arranhar e fugir é a melhor solução, ele sempre fica pra trás.

132

O Retorno do Rei

Fãs,

Estou a postos. Tenho dormido menos, comido menos, vigiado mais. Olho pela manhã, Christie à noite. Revesamos. Daqui onde estou não vejo nada, nenhum sinal dele. Nunca mais tivemos nosso quarto invadido pelo Rei. Meu medo é que ele venha nos cobrar impostos que deverão ser pagos em ração ou, o que é pior, em petiscos. Não posso me arriscar muito, pois sou um intelectual, escritor, escrivão. Então mando a Christie ir na frente, investigar lá embaixo, afinal, se ela se acidentar, ela é coadjuvante do meu blog, não vai fazer tanta falta mesmo.

Christie desce para investigar, troca fuuuz com o Mario Grey quando o vê. Disse a ela que não quero mais saber de amizades com ele, ele é o Rei e a partir de agora nós dois compomos um movimento Anti-Monárquico que poderá levar a monarquia até mesmo à guilhotina, ué, por que não? Li em um livro que os franceses faziam isso. Queria ser um gato francês, mais especificamente um gato jacobino… se bem que, pensando bem, sou branco, se eu sujar minhas patinhas de sangue… caramba!!! Mamãe vai querer me dar banho!!!! Droga, não, não… pensando bem, acho que não nasci pra guilhotinar rei nenhum e vou ter que dividir mesmo meus petiscos com ele, droga!

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

117

Christie na espreita!

118

Treinando socos na escada para evitar que o inimigo suba

120

Vigilância da ala sul,ok!

121

Christie indo vigiar o subsolo!

119

Christie espionando o Grey!

122

Christie com os óculos de visão noturna, OK!

O capacho do tio Grey

Fãs,

Meu tio Grey quis dar um ar mais imponente a sua casa e mandou que seus empregados humanos fizessem um capacho no formato dele. Só que agora o próprio Grey está inconsolável, pois acha uma falta de respeito que todos que vão entrar em sua casa limpem seus sapatos sujos no tão mimoso gatinho. Para solucionar o caso, meu tio Grey resolveu fazer vigília em frente à porta e toda vez que alguém ousa pousar ali, Grey faz fuuuz, insinua arranhar e até morder.

Mas, fãs, vigília de gato nunca é 100%, quando dá as 3 horas da tarde, depois da barriguinha cheia de ração, Grey acaba dormindo à porta. Christie e eu aproveitamos para descer e, só pra implicar com a monarquia, fazemos a festa no capacho do tio Grey: esfregamos nossas almofadinhas, afiamos as unhas, damos uns mordiscos e até esfregamos nosso bumbum! Depois subimos correndo pro quarto de novo. Quando o Grey acorda o tapete está coberto de pelos branco e pretos e tem nosso cheirinho especial do qual tão cedo não vai esquecer.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

grey