Em volta da luz tem tanta vida

Fãs,

A minha varanda era escura, sem vida de noite. Eu olhava para o poste da rua, olhava de ficar noite inteira olhando, via besouro ao redor da luz, mosquito, barata, percevejo, mariposa, gambá subindo pelo poste. Na minha varanda só Christie e eu, nenhum bicho diferente para sabermos como é. Fui até o vovô e pedi para que colocasse uma lâmpada em nossa varanda para que os bichos pudessem vir se divertir aqui também. Minha varanda, agora, parece que tem uma fogueira de São João, parece que todos os insetos do mundo querem pular ao redor da fogueira, eles saltam, rodam, dançam ao redor da luz. Gosto de olhar aquela festa. Christie tenta brincar com um ou dois bichos de uma vez. Eu gosto de ver. Gosto de olhar como se a luz fosse uma chama que dançasse na frente dos meus olhos. Muitos bichos brincam ali até morrer, caem no chão sem vidinha alguma, numa prova enlouquecida que brincar é o que mais vale a pena nessa vida.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

153

Minha visão, assim que houve luz na varanda pela primeira vez

152

Nós assistindo à quadrilha dos bichos ao redor da fogueira de luz

 

Sacrifícios em prol da fofura

Fãs,

Já falei aqui com vocês sobre a Estética da Fofura (se não leu, clique aqui ). Como toda estética, ela exige dedicação, alguns sacrifícios e trabalho. Vovó é uma artesã da fofura. Ela potencializa ainda mais as fofurices dos gatos daqui do Castelo do Grey. Vovó é como aquela moça que coloca a cerejinha no bolo, ela pode não deixar o bolo melhor, mas com certeza deixa mais fofo. Mas a Christie não liga muito para exercer esta estética, ela só quer saber de correr, pular, rolar no chão. Mario Grey é impaciente e acha que para ser fofo basta governar seu castelo. Eu não. Eu sou adepto de ficar mais fofo sempre: usar toucas, gravatas, óculos… a fofura para mim é ilimitada e é rumo ao infinito de fofurice que quero caminhar.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

148

Mario Grey fica ainda mais rabugento quando usa touquinha

151

Christie acha que touquinha atrapalha suas aventuras

149

Eu não, diferente deles: estou sempre a serviço da estética da fofura e em busca de ser cada dia mais fofo

150

Ai, como sou fofo!!!

 

Amigo novo

Olá, amiguinhos! Tudo bom??

Fazer novas amizades é ter novas histórias. Amo ter novos amigos, o Borginho não. Eu tenho um novo amigo que se chama Mario Grey, ele é meu tio. Com ele aprendo coisas novas: como sair correndo pelas escadas, como subir na cadeira da vovó. Pra ele, eu ensino novas coisas: como escalar as paredes, como correr atrás da bolinha de papel. Ter novos amigos, traz também novos problemas. Mario Grey se irritou comigo e me deu uma patada no nariz. Fez dodói. Borginho me disse que por isso que as amizades não valem a pena, pois elas machucam mais do que trazem alguma coisa boa. Borginho se olha no espelho e não vê nenhum machucado. Eu vejo um arranhão no nariz, mas pra mim não é como machucado que vejo, vejo como uma história pra contar. Amigos deixam marcas mesmo, deixam tantas histórias boas, por isso que é legal.

Ass.: A gata Christie

145

Grey estava sozinho no mundo

144

Fui chegando devagarinho

146

Pra lhe fazer companhia

147

Com minha nova cicatriz no nariz, rimou. hihihi

Pós-escambo

Fãs,

Devem-se lembrar que Christie em uma brilhante jogada empreendedora conseguiu livrar-se da desfortável CatCave e trocá-la por uma maravilhosa caixinha de papelão (se você não lembra, leia clicando aqui)! Pois os senhores leitores e senhoras leitoras não sabem, o imperador Mario Grey está tão feliz com seu leito luxuoso que é usado por todos os Reis Felinos do Oriente Médio que está nos abastecendo com novas e mais novas remessas de caixinhas de papelão.

Posicionamos a caixinha em nossa varanda e podemos agora desfrutar da bela vista noturna com voos de morcegos e mosquitinhos enquanto estamos sentados ou deitados sobre a confortável textura de papelão. Afinal, fãs, se papelão não fosse confortável, não seria a cama favorita de todos os mendigos do mundo que conseguem dormir seja sob sereno, seja sob o sol quente da manhã. Graças e vivas ao papelão!

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

143

Na confortável caixinha conversível com vista para o céu estrelado

 

142

Christie e sua sonequinha na caixinha

141

E o bobo do Mario Grey dormindo na CatCave achando que realmente é a cama dos Reis Felinos do Oriente Médio, coitado, todo desconfortável.



 

 

Mordisquenta

Olá, amiguinhoooooooooOOoooOOOoOOOOoooossssss…. tudo bem? hihi. Comigo tudo bem também, tudo legal, tudo lindinho!

Mamãe e papai tão aqui rindo de mim. Eu sei que sou muito engraçada! Eles estão rindo porque ando com um nervosinho nos dentes. Sabe quando dá aquela vontade de morder tudo? Você deve saber… Eu gosto de morder pé da cadeira, fio de celular, alça de sutiã, prendedor de cabelo, celular, fio de telefone!!! Fios no geral são muito gostosos, né? Uma família que tem muitos fios em casa só pode ser para os gatinhos roerem, porque vivemos a era do sim fio, né??? Mamãe diz que não me entende, mas ela é igualzinha a mim, outro dia vi mamãe comendo um prato cheeeeeeio de fios que ela chama de macarrão! Eu também faço meu macarão de fios pretos igualzinho a mim e por serem pretinhos são assim tão gostosos.

Lambeijinhos.

Ass.: A gata Christie.

137

Huuuuuuuuuummmm…. que delícia!

138

Macarrãozinho boooom!

140

Consigo parar de morder isso aqui não

136

Ué, pode não, mamãe?

O Retorno do Rei

Fãs,

Estou a postos. Tenho dormido menos, comido menos, vigiado mais. Olho pela manhã, Christie à noite. Revesamos. Daqui onde estou não vejo nada, nenhum sinal dele. Nunca mais tivemos nosso quarto invadido pelo Rei. Meu medo é que ele venha nos cobrar impostos que deverão ser pagos em ração ou, o que é pior, em petiscos. Não posso me arriscar muito, pois sou um intelectual, escritor, escrivão. Então mando a Christie ir na frente, investigar lá embaixo, afinal, se ela se acidentar, ela é coadjuvante do meu blog, não vai fazer tanta falta mesmo.

Christie desce para investigar, troca fuuuz com o Mario Grey quando o vê. Disse a ela que não quero mais saber de amizades com ele, ele é o Rei e a partir de agora nós dois compomos um movimento Anti-Monárquico que poderá levar a monarquia até mesmo à guilhotina, ué, por que não? Li em um livro que os franceses faziam isso. Queria ser um gato francês, mais especificamente um gato jacobino… se bem que, pensando bem, sou branco, se eu sujar minhas patinhas de sangue… caramba!!! Mamãe vai querer me dar banho!!!! Droga, não, não… pensando bem, acho que não nasci pra guilhotinar rei nenhum e vou ter que dividir mesmo meus petiscos com ele, droga!

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

117

Christie na espreita!

118

Treinando socos na escada para evitar que o inimigo suba

120

Vigilância da ala sul,ok!

121

Christie indo vigiar o subsolo!

119

Christie espionando o Grey!

122

Christie com os óculos de visão noturna, OK!

A refuncionalização do banheiro

Fãs,

Meu banheiro é conversível: divide no meio, metade com areia, metade abre. Tudo junto, meu banheiro é um iglu. Iglu de veraneio, pois no Rio de Janeiro só faz calor. Parte de baixo serve pra gente se aliviar, parte de cima é brinquedo da Chrisitie.

Vovó põe a cobertura no chão e Chrisitie entra pra se esconder. Ela brinca de ser um pinguim no iglu quente que não derrete no Rio. Christie é um pinguim só preto, o branco ficou todo em mim. Ela fica escondida, quado passo, puxa meu pé: é um pinguim arteiro, pinguim felino. Christie, igual pinguim, também gosta de peixe. Pudesse, Christie comeria mais nada. Christie gosta de peixe, mas gosta ainda mais de brincar. Fica ali, se fazendo de escondida no iglu-banheiro e acha que eu não vejo não. Eu já não sou muito mais de brincadeira. Já não vejo mais o mundo com tanto mistério infantil: o brinquedo é só o iglu, que é só o banheiro, que é só uma palavrinha perdida no meio do texto. Também sou assim, uma palavra perdida no meio dum universo infinito que vejo mais fácil toda noite. É a única coisa que se vê mais fácil quando justamente há menos luz.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

111

Meu banheiro se divide no meio: metade é areia

109

Metade é brinquedo da Christie

 

110

Christie gosta de se fazer de pinguim no iglu e pegar meu pé como se fosse peixe